Medição de Ruído em Call Center

Medição de Ruído em Call Center

De acordo com a NR-9, todo empregador e instituição que admitam trabalhadores devem elaborar um Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA) que tem por objetivo a preservação da saúde do trabalhador através da antecipação, reconhecimento e controle dos riscos ambientais existentes. Consideram-se riscos ambientais os agentes físicos, químicos e biológicos. Um dos agentes físicos aqui considerado é o ruído. No PPRA, três etapas obrigatórias são: o reconhecimento do risco; a avaliação da exposição dos trabalhadores e o monitoramento da exposição. Uma vez reconhecida a existência do risco ao agente ruído, deve-se avaliar e monitorar quantitativamente a intensidade da exposição do trabalhador ao ruído e comparar com os valores dos limites de tolerância previstos no Anexo 1 da NR-15 para ruído contínuo ou intermitente e no Anexo 2 para ruído de impacto.

Para avaliação da exposição ao ruído de trabalhadores, deve-se utilizar a NHO-01 que tem por objetivo, estabelecer critérios e procedimentos técnicos para a avaliação da exposição ocupacional ao ruído que implique risco potencial de surdez ocupacional. De forma simplificada, essa Norma descreve que as medições devem ser realizadas com o microfone posicionado dentro da zona auditiva do trabalhador e no caso de medidores de uso pessoal, comumente chamados de dosímetros, o microfone deve ser posicionado sobre o ombro, preso na vestimenta. No caso de trabalhadores que estejam expostos a ruídos provenientes de fontes sonoras próximas à orelha humana, este procedimento técnico não é aplicável, como por exemplo, tele atendentes de call centers, pilotos de helicópteros, dentre outros. Nos últimos anos, com o avanço das tecnologias, novos instrumentos de medições na área de acústica surgiram. Tornou-se possível então avaliar a exposição ocupacional ao ruído nessas situações através de duas metodologias:

  • Utilizando mini microfone em ouvido real, comumente chamada de Microfone in Real Ear (MIRE). Esta consiste na utilização de um mine microfone na entrada do canal auditivo do trabalhador sendo possível avaliar a intensidade da exposição ocupacional ao ruído;
  • Utilizando um simulador de cabeças e troncos com microfones especiais que simulam o ouvido humano, comumente chamada de Head and Torso Simulator (HATS). Esses dispositivos procuram simular as características auditivas dos seres humanos.

Com esses equipamentos é possível realizar o levantamento dos níveis de exposições de ruído dos trabalhadores em seus ambientes de trabalho. Independente dos limites de tolerância ao ruído que a legislação determina, é imprescindível que a medição realizada seja a mais fidedigna e contenha a maior precisão possível para que se possam tomar decisões corretas a partir do momento que se tenha os resultados das medições, nesse sentido o métodos mais adequado e aceito é utilizando o mini microfone em ouvido real.

É importante estar atento ao contratar terceiros para realizarem estas medições já que existem no mercado nacional muitas empresas que realizam as medições da dose de exposição ao ruído dos telefonistas sem satisfazer as normas. O LAEPI desde 2012 vem realizando este serviço utilizando equipamentos de última geração e com pessoal técnico qualificado sob a supervisão do Prof. Samir N. Y. Gerges, Ph.D para grandes empresas de call centre no Brasil.

Deixe seu comentário