LAEPI

EM BREVE LANÇAREMOS,

o safe.EAR, o fit teste descomplicado.

Para todos os tipos, marcas e modelos de protetores auditivos.

O safe.EAR é um sistema desenvolvido pelo LAEPI, referência nacional em proteção  auditiva no Brasil, que avalia o nível de atenuação de ruído pessoal (NAP) dos trabalhadores ao utilizarem o protetor auditivo.

 

O sistema realiza teste de avaliação de atenuação pessoal em segundos, garantindo mais segurança e conforto para colaboradores e empresas. Safe.EAR é a ferramenta ideal para auxiliar no atendimento a NR 1 quanto a capacitação e treinamento do colaborador ao usar o protetor auditivo.

Por que utilizar o safe.EAR?

1. Auxiliar o colaborador na escolha do tipo de protetor auditivo que terá melhor performance para atenuar ruído.

2. Treinar o colaborador para a colocação e uso adequado do protetor auditivo, garantindo uma melhor eficácia do produto.
3. Quantificar a atenuação de ruído pessoal do colaborador utilizando protetor auditivo usado por ele (novo ou usado).

4. Atendimento ao
item de treinamento
da NR6 e do Guia de Diretrizes do Programa de Conservação Auditiva da FUNDACENTRO.

Benefícios

  • Pode ser testado em protetores tipo concha e tipo inserção, de qualquer marca ou modelo.
  • Avalia a eficácia dos protetores auditivos individualmente.
  • Permite às empresas a melhor escolha dos EPIs oferecidos para cada colaborador.
  • Ferramenta que aponta a prevenção contra a perda da audição dos colaboradores.
  • Testa em menos de 30 segundos em ambas as orelhas, simultaneamente.
  • Testes em 7 frequências padrão (125Hz a 8000Hz)
  • Testes quantitativos e objetivos
  • Atende aos requisitos da Norma ANSI / ASA S12.71-2018

Como usar o safe.EAR?

  1. Baixe o software e instale em seu computador. 
  2. Cadastre os colaboradores ou importe a sua planilha para o sistema. 
  3. Execute o safe.EAR: sugerimos executar juntamente com o teste audiométrico (leva apenas 1 minuto). 
  4. Ao final, o software irá avisar o término do teste. 
  5. Salve o resultado do teste. 

Qual norma é usada para o safe.EAR?

O ensaio é baseado na nova Norma ANSI / ASA S12.71-2018 para sistemas de ensaio de atenuação pessoal de protetores auditivos.

Quer saber mais informações?
Faça seu cadastro e fale com a gente:

FAQ - Perguntas Frequentes

O Safe.EAR é um Sistema de Estimativa de Atenuação em Campo (SEAC) inovador que permite realizar ensaios do Nível de Atenuação Pessoal (NAP) de protetores auditivos em segundos, garantindo mais segurança e conforto para os colaboradores e empresas.

  • Rapidez e praticidade: Com o método objetivo o teste é realizado em menos de 30 segundos em ambas as orelhas, simultaneamente.

  • Eficácia e confiabilidade: O sistema avalia a eficácia dos protetores auditivos individualmente, verificando se a proteção obtida é adequada para cada colaborador.

  • Segurança e conforto: O safe.EAR ajuda a prevenir a perda auditiva, garantindo o uso correto dos protetores auditivos e proporcionando mais conforto para os colaboradores.

  • Facilidade de uso: O sistema é fácil de usar e não requer treinamento especializado.

  • Conformidade com a NR-1: O safe.EAR auxilia no atendimento à NR-1 e NR-6, que exige a capacitação e treinamento dos colaboradores quanto ao uso correto dos protetores auditivos.

O safe.EAR utiliza tecnologia de ponta para medir o nível de ruído que chega ao ouvido do colaborador com e sem o protetor auditivo. Essa informação é utilizada para calcular o NAP proporcionada pelo protetor auditivo, garantindo que ele seja eficaz na proteção da audição do colaborador.

Não existem restrições para operação e realização dos ensaios com o safe.EAR. O ideal é que seja acompanhado por profissionais relacionados com os Programas de Conservação Auditiva (PCA).

O safe.EAR pode ser adquirido entrando em contato com LAEPI através do telefone: (48) 3232-8023, Whatsapp (48) 98827-8255 ou do e-mail: laepi@laepi.com.br.

Para usar o safe.EAR, é necessário ter um computador com Windows 7 ou superior e acesso à internet para criar o usuário.

Sim, o safe.EAR é um sistema seguro e confiável. Ele foi desenvolvido por especialistas em saúde ocupacional e segue as normas técnicas mais rigorosas, incluindo a norma ANSI/ASA S12.71-2018.

Sim, o safe.EAR é muito fácil de usar. O sistema possui uma interface amigável e intuitiva que facilita a realização dos testes.

Sim, o safe.EAR é um sistema preciso e confiável. Ele utiliza tecnologia de ponta para garantir a precisão metrológica dos resultados dos testes. Por trabalhar com uma medição relativa, utilizando o mesmo microfone para o limiar aberto quanto para o limiar fechado.

Sim, o safe.EAR é compatível com todos os tipos de protetores auditivos, incluindo plugues, conchas, conchas acoplados ao capacete de segurança e dupla proteção.

O safe.EAR é um investimento em saúde ocupacional que oferece um excelente custo-benefício. O sistema ajuda a prevenir a perda auditiva, que pode gerar custos elevados para as empresas e colaboradores.

Você pode encontrar mais informações sobre o safe.EAR no site da LAEPI: https://laepi.com.br/safe-ear

 

Você pode entrar em contato com a LAEPI através do telefone: (48) 3232-8023, Whatsapp (48) 98827-8255 ou do e-mail: laepi@laepi.com.br.

Sim, a LAEPI oferece treinamento para o uso do safe.EAR. O treinamento é realizado por profissionais especializados e abrange todos os aspectos do sistema, desde a instalação até a realização dos testes.

Sim, a LAEPI oferece suporte técnico para o safe.EAR. O suporte técnico é gratuito e está disponível de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h.

Sim, a LAEPI oferece garantia de 1 ano para o safe.EAR. A garantia cobre defeitos de fabricação e de software.

Sim, o safe.EAR é um bom investimento em saúde ocupacional. O sistema ajuda a prevenir a perda auditiva, que pode gerar custos elevados para as empresas e colaboradores. Além disso, o safe.EAR é um sistema rápido, prático, eficaz e confiável.

O EAP é um teste que estima atenuação de ruído que um protetor auditivo fornece a um indivíduo, determinando se o protetor auditivo escolhido oferece a proteção adequada para o usuário.

O EAP garante que o protetor auditivo seja eficaz na proteção da sua audição contra ruídos excessivos no ambiente de trabalho.

Todos os usuários de protetores auditivos, inclusive novos funcionários e aqueles que mudam de função ou de EPIs.

O EAP é realizado por um profissional capacitado, utilizando um equipamento específico para medir o NAP proporcionada pelo protetor auditivo em cada indivíduo.

Método Objetivo – Microfone de Campo na Orelha Humana (MCOH): método mais preciso, que utiliza um microfone em miniatura posicionado no canal auditivo para medir o nível de ruído.

Método Subjetivo – Orelha Humana no Limiar Auditivo (AOHLA): Este método compara o limiar auditivo com e sem o protetor auditivo, utilizando a percepção auditiva do usuário.

  1. O usuário é informado sobre o objetivo do teste.

  2. O profissional seleciona o método de EAP mais adequado para o caso.

  3. O teste é realizado em ambiente silencioso e controlado.

  4. O resultado do EAP é documentado em um relatório, que inclui informações sobre o procedimento, os equipamentos utilizados, o usuário e a atenuação sonora proporcionada pelo protetor auditivo.

  • O operador do ensaio pode treinar o usuário a realizar uma colocação adequada do protetor auditivo.

  • Escolha outro modelo ou tamanho de protetor auditivo e realize um novo EAP.

  • Consulte um médico especialista em saúde ocupacional para obter orientação sobre a proteção auditiva mais adequada para você.

  • Nível de ruído no ambiente de trabalho.

  • Conforto e adaptação do usuário.

  • Dificuldade de comunicação.

  • Peso e transporte do protetor auditivo.

  • Higienização.

  • Uso de aparelhos auditivos.

  • Uso de outros EPIs conjugados ao protetor auditivo.

  • NR-1 – Disposições Gerais e Gerenciamento de Riscos Ocupacionais.

  • NR-6 – Equipamentos de Proteção Individual.

  • NR-7 – Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional.

  • NR-15 – Atividades e Operações Insalubres.

  • Guia de Diretrizes e Parâmetros Mínimos para Elaboração e a Gestão do Programa de Conservação Auditiva.

Os registros dos EAPs permitem:

  • Monitorar a efetividade da proteção auditiva ao longo do tempo.

  • Identificar a necessidade de reavaliar o programa de proteção auditiva.

  • Atender às exigências legais.

  • Desenvolver indicadores gerenciais quanto ao risco ruído.

O TVA é um teste rápido e simples que verifica se o protetor auditivo está ajustado corretamente no usuário, garantindo a sua efetividade na proteção auditiva.

Um protetor auditivo mal ajustado pode reduzir significativamente a sua capacidade de proteger a audição contra ruídos excessivos. O TVA garante que o protetor auditivo esteja vedando corretamente a região circum-aural ou o canal auditivo, evitando a transmissão de sons prejudiciais à orelha humana.

Todos os usuários de protetores auditivos, inclusive novos funcionários e aqueles que mudam de função ou de EPIs.

O TVA pode ser realizado de duas maneiras:

  • Método Objetivo: utiliza um equipamento específico para medir a atenuação sonora proporcionada pelo protetor auditivo no usuário.

  • Método Subjetivo: o usuário responde a um estímulo sobre a percepção do som com e sem o protetor auditivo.

O TVA deve ser realizado periodicamente, de acordo com a NR-1 e NR-6, a periodicamente ou em situações como:

  • Mudança de função ou de EPIs.

  • Mudanças no ambiente de trabalho.

  • Suspeita de que o protetor auditivo não esteja ajustado corretamente.

  • Após doenças que afetam a audição.

  • Retorno ao trabalho após afastamento.

  • Recolocar o protetor auditivo e realizar o TVA novamente.

  • Ajustar o protetor auditivo de acordo com as instruções do fabricante.

  • Se o problema persistir, escolher outro modelo ou tamanho de protetor auditivo e realizar um novo TVA.

  • Tamanho e formato do canal auditivo.

  • Tipo de protetor auditivo.

  • Posicionamento do protetor auditivo.

  • Presença de pelos ou cicatrizes no ouvido.

  • Uso de óculos ou outros acessórios.

  • NR-1 – Disposições Gerais e Gerenciamento de Riscos Ocupacionais.

  • NR-6 – Equipamentos de Proteção Individual.

  • NR-7 – Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional.

  • NR-15 – Atividades e Operações Insalubres.

  • Guia de Diretrizes e Parâmetros Mínimos para Elaboração e a Gestão do Programa de Conservação Auditiva.

Os registros dos TVAs permitem:

  • Monitorar a efetividade do ajuste do protetor auditivo ao longo do tempo

  • Identificar a necessidade de reavaliar o programa de proteção auditiva

  • Atender às exigências legais

  • Desenvolver indicadores gerenciais quanto ao risco ruído

O Ensaio de Atenuação Pessoal (EAP) do safe.EAR é baseado na norma ANSI/ASA S12.71-2018. Esta norma, intitulada “Critérios de Desempenho para Sistemas que Estimam a Atenuação de Protetores Auditivos Passivos para Usuários Individuais”, estabelece os requisitos mínimos para sistemas que medem a atenuação real do ouvido fornecida por protetores auditivos em usuários individuais.

O objetivo principal da norma é garantir que os sistemas de fit-testing de protetores auditivos forneçam resultados precisos e confiáveis, permitindo que os trabalhadores selecionem e usem protetores auditivos adequados para proteger sua audição em ambientes ruidosos.

Não. A norma ANS/ASA S12.71-2018 é uma norma de consenso voluntária. Esta é uma norma internacional e amplamente reconhecida como referência, garantindo a precisão e eficácia dos equipamentos de fit-testing.

 

Adequar os ensaios do safe.EAR a esta norma é parte de nosso compromisso em garantir que o safe.EAR atenda aos mais elevados padrões de qualidade e confiabilidade, ainda que não haja exigência legal, nos antecipando na validação do produto. Salientamos que a validação conforme a Norma ANSI S12.71 é um processo específico de engenharia, e que envolve a realização de ensaios de atenuação de ruído pelo Método REAT em laboratório acreditado pela Cgcre/INMETRO.

Esta norma contém critérios que os fabricantes de equipamentos devem aplicar aos seus sistemas de fit test de proteção auditiva para garantir medições precisas e relatórios transparentes dos resultados. Um dos principais requisitos desta norma é que os sistemas de teste sejam avaliados através da comparação das suas estimativas de atenuação com a atenuação medida utilizando o padrão laboratorial, o método de atenuação do ouvido real no limiar (REAT). O termo genérico utilizado na norma para um sistema de teste de fit-testing de proteção auditiva é Field Attenuation Estimation System (FAES).

 

A norma reconhece várias tecnologias e métodos para a realização de testes de adaptação de proteção auditiva e diferencia os requisitos mínimos para um FAES com base no método de teste de adaptação que utiliza. Esta norma é a primeira do seu género a nível mundial.

Atualmente não existe uma certificação para este tipo de equipamento tanto no Brasil quanto no resto do mundo.
Como parte de nosso compromisso em oferecer soluções inovadoras que atendam às necessidades de nossos clientes e do mercado, o safe.EAR está em fase de validação pela Norma ANSI S12.71, seguindo rigorosamente os parâmetros estabelecidos.

A calibração do safe.EAR é recomendada a cada 2 anos, e é realizada no laboratório do LAEPI.


Conforme os requisitos definidos na norma ANSI/ASA S12.71-2018 para calibração de sistemas de fit-testing de protetores auditivos, visando garantir a precisão das medições da atenuação real do ouvido (REAT). A calibração é realizada por pessoal qualificado e com equipamento rastreável, mantendo os registros das calibrações. Cada componente do sistema (aquisição do som, geração de som e fit-testing) é calibrado individualmente. Esta calibração regular é crucial para a confiabilidade das medições da REAT e a efetividade dos programas de conservação auditiva.