Cultura Organizacional: qual a relação com a Eficácia do Protetor Auditivo?

Cultura Organizacional: qual a relação com a Eficácia do Protetor Auditivo?

Muitas são as questões no que tangem ao ruído quando são considerados os agentes pela Previdência Social para a concessão de aposentadoria especial. Assim, além de entregar o EPI protetor auditivo ao trabalhador é necessário fazer os registros de entrega, possuir o Certificado de Aprovação válido na data da compra do EPI, realizar a higienização, fazer trocas periódicas do protetor, realizar treinamentos sobre sua utilização, ter os programas de conservação da saúde do trabalhador e programas de conservação auditiva, e ainda fazer exames de audiometria dos colaboradores.

Quando falamos em comprovação da eficácia do protetor auditivo, o LAEPI hoje apoia e respalda seus clientes através dos ensaios do protetores com tempo de uso, porém sempre alertando e orientando quanto a cultura em torno das ações que envolvem não apenas o EPI mas os EPCs (equipamentos de proteção coletivos) também.

Portanto, é necessário implementar uma cultura que visa a segurança e saúde do trabalhador, que contemple medidas protetivas e eficácia comprovada. Apenas dessa forma será possível evitar chateações relacionadas ao risco físico ruído no que tange a insalubridade e a aposentadoria especial. Esse desafio é visando em primeiro lugar a saúde do trabalhador e consequentemente problemas com multas ou penalidades junto aos órgãos públicos competentes.

O LAEPI desenvolve assessoria e ensaios em laboratório com os protetores com tempo de uso para diversas empresas apresentando evidências de que o Protetor Auricular é eficaz e protege a saúde do trabalhador que está exposto ao ruído.

Para mais informações, entre em contato com o Eng. Rafael através do e-mail rafael@laepi.com.br ou telefone (48) 3232-8023.

Acesso o Portal Consulta PA e confira quais protetores auditivos possuem C.A. no Brasil e compare os diferentes modelos de protetores.

Deixe seu comentário