Ensaio de Luvas Antivibratórias: normas no Brasil

Ensaio de Luvas Antivibratórias: normas no Brasil

Devido à crescente demanda para reduzir os riscos de saúde associados com a exposição a vibração transmitida as mãos, são frequentemente utilizadas luvas com materiais para atenuar a vibração. Essas luvas são popularmente chamadas de luvas antivibratórias e podem reduzir, mas não eliminar os riscos à saúde associados com a exposição à vibração transmitida a mão.

No Brasil temos apenas uma norma NBR publicada, que diz respeito a ensaio de transmissibilidade de vibração dos materiais utilizados nas luvas antivibratórias. É a ABNT NBR ISO 13753 – Vibrações mecânicas e choque – Vibração no sistema mão-braço – Método para medição da transmissibilidade da vibração em materiais resilientes sob preensão pelo sistema mão-braço. Esta norma é utilizada para ensaiar apenas o material utilizado nas luvas antivibratórias e não a luva como um todo.

Atualmente, a comissão de estudos do CB-32 – EPIs da ABNT vem trabalhando na tradução da Norma ISO 10819 – Vibração mecânica e choque – vibração em mãos e braços- Medição e avaliação da transmissibilidade da vibração das luvas na palma das mãos. Essa norma tem por objetivo avaliar a transmissibilidade de vibração da luva antivibratória como um todo, diferentemente da ABNT NBR ISO 13753, que avalia apenas o material utilizado.

Os ensaios seguindo a Norma ISO 10819 são realizados em laboratórios, utilizando sujeitos de teste, que vestem a luva e seguram um shaker (vibrador). Para quantificar a transmissibilidade, um acelerômetro é instalado no cilindro onde o sujeito de teste segura e outro na palma da mão, por dentro da luva. A razão entre a aceleração medida na palma da mão e no cilindro, é a transmissibilidade de vibração, que teoricamente varia entre 0 e 1:

  • Quando a transmissibilidade de vibração é igual a 1, significa que toda a vibração do shaker foi transmitido para a palma da mão do sujeito de teste;
  • Quando a transmissibilidade de vibração é igual a 0, significa que nenhuma vibração do shaker foi transmitido para a palma da mão do sujeito de teste.

Este ensaio é realizado em bandas de 1/3 de oitava de 25 Hz a 1250 Hz. Ao final do ensaio, os resultados são comparados aos requisitos de aprovação apresentados na norma. Caso a luva atenda a todos os requisitos, ela é considerada antivibratória.

As luvas testadas de acordo a ABNT NBR ISO 10819 são avaliadas em laboratório com ambiente controlado. A real atenuação da vibração de uma luva em um ambiente de trabalho pode diferir das medidas obtidas em um laboratório com ambiente controlado.

As observações de campo indicam que as luvas com materiais de redução de vibração podem resultar em efeitos positivos e negativos para a saúde. Os efeitos positivos a saúde ocorre quando as luvas reduzem formigamento e adormecimento dos dedos mantendo as mãos quentes e secas. Os efeitos negativos a saúde ocorre quando as luvas aumentam a vibração transmitida às mãos em baixas frequências resultando o aumento da fadiga no braço e mão, devido ao aumento na força de preensão requerida para o controle da ferramenta vibratória.

Para que a luva antivibratória seja considerada um EPI é necessário ensaiar conforme a ISO 10819. O LAEPI já realizou esses ensaios para uma grande indústria de aviação brasileira e hoje é o único laboratório no Brasil que realiza os ensaios conforme a Norma ISO 10819.

Deixe seu comentário