EPIs conjugado ao Protetor Auricular: qual o seu impacto na atenuação do ruído?

EPIs conjugado ao Protetor Auricular: qual o seu impacto na atenuação do ruído?

De acordo com a NR-6 – Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) do Ministério do Trabalho (MTb), item 6.1.1, Equipamento Conjugado de Proteção Individual é todo aquele composto por vários EPIs que o fabricante tenha associado contra riscos que possam ocorrer e que sejam suscetíveis à ameaça da segurança e saúdo do trabalhador. Tratando-se de Protetores Auriculares (PAs), este pode ser conjugado com capacete de segurança, capuz de segurança, óculos, touca, balaclava, entre outros. A interação do PA com outros EPIs pode gerar uma redução da atenuação de ruído devido ao comprometimento do correto funcionamento do PA, principalmente no que diz respeito a vedação adequada.

Atualmente no Brasil, apenas os PAs acopláveis a capacetes de segurança e viseiras de proteção facial possuem Certificado de Aprovação (CA), que é emitido pelo MTb. Nessas situações, o PA é ensaiado em conjunto com o capacete de segurança, sendo que o resultado do ensaio de atenuação de ruído estima a interação entre esses EPIs. Os PAs acopláveis ao capacete de segurança são do tipo concha, geralmente, possuem a mesma concha utilizada nos PAs do tipo concha tradicional com haste sobre a cabeça. A diferença é que, as conchas são fixadas diretamente no capacete de segurança ao invés de possuir uma haste fixando as duas conchas. Esse tipo de fixação resulta em uma menor força da haste sobre a cabeça do usuário e menor vedação da conha, o que gera uma redução da atenuação de ruído.

Dessa forma, em termos gerais, a atenuação de ruído de um mesmo modelo de concha de protetor auditivo acoplado ao capacete de segurança possui uma atenuação menor que um modelo de concha com haste própria. Existem casos em que a diferença de atenuação de ruído atinge o valor de 8 dB entre o PA do tipo concha com haste sobre a cabeça e concha acoplável ao capacete que utilizam o mesmo modelo de concha.

Além disso, os PAs do tipo concha com haste ou acoplado ao capacete de segurança podem ser utilizados juntamente com outros EPIs, como por exemplo: óculos de segurança ou toucas térmicas. Nesse caso é necessário realizar o ensaio de atenuação de ruído para conhecer a atenuação de ruído fornecida por este conjunto.

Esse ensaio é de suma importância pois o uso destes outros EPIs afeta diretamente a capacidade de vedação da concha sobre a região circum-aural do usuário. Ensaios realizados indicam que o uso de uma touca térmica conjugada ao PA do tipo concha pode reduzir a atenuação em até 13 dB. Enquanto que, o uso de óculos de segurança conjugado ao PA do tipo concha pode reduzir a atenuação em até 12 dB, conforme ensaios realizados em laboratório.

Protetor Auricular Tipo ConchaPA tipo concha + capacetePA tipo concha + óculos de segurançaPA tipo concha + touca térmica
Atenua de 19dB a 29dBRedução de até 5dBRedução de até 12dBRedução de até 13dB

Devido aos fatores mencionados e a redução de atenuação causada pelo uso destes outros EPIs conjugados aos PAs do tipo concha ou concha acoplado ao capacete de segurança é imprescindível que sejam realizados ensaios de atenuação de ruído com o objetivo de estimar a real atenuação de ruído do conjunto. Sem o conhecimento dessa atenuação é inviável dimensionar corretamente o PA necessário para reduzir a exposição ao ruído abaixo do nível de insalubre de forma correta e assertiva.

 O LAEPI é o único laboratório Acreditado pela Cgcre do Inmetro e credenciado pelo MTE para realizar ensaios de atenuação de ruído de protetores auditivos com a norma ANSI S12.6-2016, conforme requisitado na NR-06 e especificado no Anexo II da Portaria MTE Nº 452 de 20 de novembro de 2014.

Para saber mais sobre esse tema, adquira já o livro Protetores Auditivos do maior especialista na área Prof. Samir Gerges através do e-mail: laepi@laepi.com.br

 

 

Deixe seu comentário