EPIs conjugados à protetores auriculares: qual a influência na atenuação?

EPIs conjugados à protetores auriculares: qual a influência na atenuação?

Em nossa trajetória como Laboratório de Ensaio de Atenuação de Ruído de Protetores Auditivos, temos realizado muitos ensaios de protetores auriculares conjugados a capacetes de segurança para medir a atenuação deste conjunto para obtenção de Certificado de Aprovação junto ao CAEPI. Entretanto, em um período recente e mais especificamente em 2018, o LAEPI foi procurado por indústrias de vários segmentos para realizar ensaios de protetores auriculares conjugados com máscaras faciais, toucas de algodão, toucas balaclava, toucas para câmara fria entre outros EPIs.

Percebermos que existe uma grande variedade de toucas que são usadas na atividade laboral junto com o protetor auricular. Entretanto estas toucas são confeccionadas também dos mais variados materiais como tecidos de algodão fino, moletom, poliéster, malha de poliéster e manta de poliéster. Assim, quando realizamos os ensaios de atenuação de ruído dos protetores auriculares usados sobre estas toucas, constatamos que geralmente há uma perda de atenuação e em algumas situações, perdas muito significativas que podem prejudicar a saúde auditiva dos trabalhadores.

Vejamos neste quadro abaixo, a constatação da perda da atenuação em decibéis, em protetores auriculares tipo concha usados em conjunto com touca simples de tecido e com toucas térmicas (para câmara fria) e protetores auriculares acoplados a capacete de segurança usados em conjunto com touca simples de tecido e com toucas térmicas (para câmara fria).

Podemos observar que nos três modelos de protetores auriculares utilizados sobre touca simples de tecido a redução de atenuação de ruído foi muito pequena, entretanto nos modelos dos protetores auriculares utilizados sobre a touca térmica a redução mínima de atenuação foi de 8 dB, chegando em um dos modelos de protetores auriculares a 14 dB.

Chamamos a atenção para os empregadores ficarem atentos quando fizerem uso de outros EPIs conjugados aos protetores auriculares, pois sem a realização de ensaios de atenuação de ruído deste conjunto, não há como garantir a PROTEÇÃO AUDITIVA DE SEUS TRABALHADORES.

Alertamos aos fabricantes e importadores de protetores auriculares que ORIENTEM seus clientes quando da compra deste EPI para ser usado juntamente com outras toucas. Principalmente aquelas que são fabricadas em várias camadas de tecidos, como no caso das térmicas, para a redução de atenuação de ruído quando estes equipamentos de proteção são utilizados em conjunto.

A única maneira de ser garantida a proteção auditiva dos trabalhadores que fazem uso destes EPIs conjugados é a medição da atenuação de ruído realizada através dos ensaios de protetores auriculares que o LAEPI, laboratório Acreditado pela Cgcre/INMETRO, CRL 0573, realiza de acordo com a Norma Técnica ABNT NBR 16076 exigida pelo Ministério da Economia.    

Entre em contato e agende um horário com nossa equipe para ver um case detalhado sobre protetor auricular conjugado a outro EPI e entender melhor como funciona o ensaio.
Ligue (48) 3232-8023

Deixe seu comentário