Protetores Auriculares Tipo Especiais

Protetores Auriculares Tipo Especiais

Finalizando nossos posts sobre os tipos de protetores auriculares, hoje falaremos dos protetores considerados especiais.

Capacetes

Esse tipo de protetor auricular é constituído de um capacete que envolve toda a cabeça do usuário ou apenas uma parte (geralmente deixando a face do usuário livre). O objetivo principal desse tipo de EPI é a proteção da cabeça do usuário à impactos. Normalmente no interior do capacete existe um protetor auditivo tipo concha integrado no EPI.

Figura 1: Protetor auditivo tipo capacete.

Especiais

Existem protetores auriculares com alguns dispositivos específicos que afetam de forma controlada sua atenuação, atingindo objetivos específicos. Esses dispositivos podem ser filtros passivos na forma de orifícios ou filtros ativos obtidos através de circuitos eletrônicos. Em ambos os casos, filtros passivos e ativos, podem ser incorporados em protetores auriculares do tipo plugue, concha ou capacete. De forma geral os protetores com esses dispositivos incorporados não possuem atenuação linear. Isso significa que, para diferentes níveis de ruído, diferentes atenuações serão fornecidas pelo protetor auricular.
Os filtros passivos (orifícios) funcionam a partir, apenas, da sua geometria e material, podendo atuar por toda faixa de frequência ou em uma banda de frequência específica, dependendo do design do filtro.
A Figura 2 ilustra um esquemático de um protetor auditivo com a utilização de filtro passivo. Este filtro permite que o usuário abra ou feche a tampa do filtro, tornando possível que o usuário abra a tampa do filtro para poder conversar com outras pessoas sem necessariamente retirar o protetor auditivo. Ao abrir a tampa do filtro, o protetor auricular ainda fornece uma atenuação, menor do que se a tampa do filtro estivesse fechada.
A Figura 3 apresenta duas tabelas de atenuação, uma referente à atenuação com o filtro e outra sem o filtro. A atenuação do protetor auditivo sem o filtro (tampa do filtro na posição fechada) é maior que a atenuação sem o filtro com o filtro (tampa do filtro na posição aberta).


Figura 2: Exemplo da utilização de filtro passivo.

Figura 3: Exemplo de atenuação obtida com e sem o filtro passivo.

Os filtros ativos são constituídos de circuitos eletrônicos e funcionam a partir da técnica de cancelamento de onda. Basicamente, um microfone capta o ruído que chega ao protetor auricular, realiza um processamento de sinal invertendo a fase do sinal e emite o ruído invertido através de um alto-falante, o resultado é o cancelamento de ruído, conforme apresentado na Figura 4.

Figura 4: Técnica de cancelamento de ruído.

Os protetores auditivos com filtro ativo, ou controle ativo, podem ser do tipo plugue, concha ou capacete. A Figura 5 ilustra um filtro ativo (na esquerda) contendo um microfone, um circuito para o processamento do sinal e um alto falante e um protetor auricular do tipo plugue (na direita) com todos esses componentes no interior do produto e um esquemático do circuito elétrico (na parte inferior).

Figura 5: Exemplo de protetores auditivos com filtro ativo.

Existem ainda protetores auriculares com atenuação quase constante, ou seja, fornecem um mesmo valor de atenuação para todas as bandas de frequência. Esse tipo de protetor auditivo é utilizado por músicos e pessoas que precisam de uma atenuação sem que o conteúdo espectral seja alterado.

 

Para realizar ensaios de atenuação de ruído em protetores auriculares, entre em contato conosco!

O LAEPI é o único laboratório no Brasil acreditado junto a CGCRE INMETRO para realizar ensaio de atenuação de ruído em protetores auriculares.

Ficou interessado? Ligue: (48) 3232-8023/ laepi@laepi.com.br

Deixe seu comentário