2a769b3443ac87333e40c967685a7ac0_cópia-de-pa-1156-577-c

Como calcular a eficiência de um protetor auricular através da tabela de atenuação?

Para escolher o protetor auricular ou verificar que um protetor auricular é adequado para determinado ambiente ruidoso deve-se realizar cálculos de verificação da proteção fornecida por este EPI. Para isto são necessárias duas informações, conforme apresentado na Figura 1:

  1. O ruído do ambiente que pode ser obtido através da avaliação ocupacional ao ruído, conforme descrito na NHO-01 – Avaliação da Exposição Ocupacional ao Ruído da Fundacentro;
  2. A atenuação do protetor auricular, que é obtido da tabela de atenuação do Certificado de Aprovação (CA), conforme apresentado em nosso artigo “ Como entender a tabela de atenuação de ruído de protetores auriculares apresentada no CA”.

Figura 1 – Metodologia para estimativa do nível de exposição ao ruído com o protetor auricular.

Atualmente existem duas metodologias de cálculo para avaliar a proteção fornecida que são mundialmente aceitos, conforme a figura 2, e que são apresentados na Norma ABNT NBR 16077 – Equipamento de proteção individual — Protetores auditivos — Método de cálculo do nível de pressão sonora na orelha protegida:

  1. Cálculo simples usando apenas o número único de atenuação de protetor auditivo (NRRsf) que é considerado um cálculo aproximado com baixa precisão;
  2. Cálculo longo por bandas de frequência de 1/1 oitava, sendo que este método possui maior precisão que o cálculo simples.

Figura 2 – Metodologia para avaliação da eficiência do protetor auricular

Cálculo Simples: O nível de exposição ao ruído do colaborador com a utilização do protetor auricular nada mais é do que o nível de ruído do ambiente em que ele se encontra subtraindo o NRRsf obtido da tabela de atenuação no CA.

NECom o protetor auricular = NPSAmbiente-NRRsf

O cálculo de proteção auditiva do colaborador através do NRRsf é apenas uma aproximação, uma vez que o NRRsf é calculado considerando um ambiente com níveis de pressão sonora iguais nas diferentes bandas de frequências, ou seja, um “Ruído Rosa”. Os ruídos existentes em um ambiente de fábrica geralmente possuem diferentes níveis de pressão sonora para as diferentes bandas de frequência. Devido a esse fato, o NRRsf só é valido para ambientes que possuam uma característica de ruído em que em todas as bandas de frequência possuam o mesmo nível de pressão sonora “Ruído Rosa”.  Ainda é importante ressaltar, que o NRRsf não deve ser utilizado como único parâmetro de avaliação da eficiência de proteção auditiva em ambientes ruidosos.

Cálculo Longo: É importante realizar uma análise de proteção dos colaboradores através do método longo no qual é utilizado a atenuação média e desvio padrão por banda de frequência (sem utilizar o número único aproximado, NRRsf), obtido no CA. Nesse caso é levada em consideração a distribuição de pressão sonora em função das bandas de frequência dos ruídos encontrados no ambiente ruidoso em que este colaborador se encontra. Por esse método é possível verificar adequadamente se o protetor auricular fornece a atenuação de ruído suficiente para que o nível de exposição ao ruído seja abaixo do limite permitido pela legislação vigente

Este cálculo deve ser realizado em bandas de frequência de 1/1 oitava de 125 até 8000 Hz. Por exemplo, imagine um ruído no ambiente em banda de 1/1 oitava conforme a linha 1 da tabela a seguir. Na linha 2 e 3 estão a atenuação média e o desvio padrão do protetor auricular retirados da tabela de atenuação de ruído do CA. Recomenda-se utilizar 2 desvios padrão para ter um nível de confiança de 98%.

LinhaFrequências centrais de 1/1 oitava1252505001K2K4K8KNível total
1Nível de pressão sonora no ambiente dBA (NPS)83,993,4101,8106,0102,297,088,9109,0
2Atenuação média do protetor auditivo14193136374840
3Desvio padrão do protetor auditivo5667778
4Nível de pressão sonora no ouvido com protetor auditivo = linha1 – (linha 2- 2xlinha3)79,986,482,884,079,263,064,990,3

Em valores globais, temos o ambiente com um Leq igual a 109,0 dB(A) e no ouvido do colaborador com protetor auditivo um Leq igual a 90,3 dB(A), neste caso temos uma atenuação efetiva de 18,7 dB fornecido pelo protetor auricular.

O Laboratório de Equipamentos de Proteção Individual (LAEPI), desde 2012 vem realizando o serviço de avaliação da eficiência do protetor auricular, utilizando equipamentos e softwares de última geração e com pessoal técnico qualificado sobre a supervisão do Prof. Samir N. Y. Gerges, Ph.D. O LAEPI é o único laboratório no Brasil acreditado pelo INMETRO para realizar ensaios de atenuação de ruído de protetores auditivos novos ou usados, entre em contato conosco (48) 3232-8023 ou laepi@laepi.com.br.

Tags: No tags

Adicione um comentário

Seu email não será divulgado. Campo obrigatório*